Avisos e Devocionais

AS MARCAS DE UM SERVO DE DEUS
25-02-2018
AS MARCAS DE UM SERVO DE DEUS

“Deus não se torna maior se você O reverencia, mas
você se torna maior se você O serve” (Agostinho).
“Não há nada sem importância no serviço de Deus”
(François de Sales).
Em Marcos 10.44, Jesus disse: “(...) e qualquer
que entre vós quiser ser o primeiro, será servo de
todos(...)”. Só para lembrar no contexto desse texto, os
irmãos e apóstolos de Jesus, Tiago e João, pediram a
Jesus para concedê-los um lugar de honra no reino
futuro do Mestre, um queria se assentar a sua esquerda
e o outro a sua direita. Em resposta ao que estava
no coração deles (eles queriam glória, privilégios no
reino de Deus) Jesus afirma aquilo que lemos acima.
Jesus quis dizer o seguinte: “Olha, se vocês de fato
querem ser os primeiros no meu reino, sejam como
“Eu”, que saí do meu lugar de glória e fiz questão de
abrir mão de muitos dos meus privilégios celestiais
para servi-los com a minha própria morte”. Jesus estava
dizendo em outras palavras: “A verdadeira glória e a
verdadeira honra está no serviço abnegado”.
O serviço cristão deve ser feito com alegria,
não por obrigação ou em frustração. Isaías mostrou
prontidão diante de Deus. Os doze apóstolos, sem
exceção, deram a vida por Jesus. Também foi assim
com Paulo. Não tenho dúvidas de que um verdadeiro
convertido tem desejo de servir, tem desejo de ser útil.
A pergunta de Paulo, alcançado por Jesus, mostra
isto: “Senhor, o que devo fazer?” (Cf. At 22.9). Quem
foi alcançado pela graça e pelo poder de Jesus quer
fazer algo por ele. O ex-endemoninhado gadareno
queria ir com Jesus: “Me deixe ir com o senhor!” (Cf.
Mc 5.17). Queria ser-lhe útil. Então, o Salvador lhe
ordenou voltar para os seus e lhes dizer o que ele fizera
na sua vida. Diz Marcos: “Então ele foi embora e
contava, na região das Dez Cidades, o que Jesus
tinha feito por ele. E todos ficavam admirados” (Cf. Mc
5.20). Um convertido quer ser útil e fala com alegria do
que houve na sua vida.
Há “pesos mortos” em nossas igrejas. Pessoas
que querem ser servidas, que todos as papariquem
e lhes sirvam; e outras que pouca importância dão ao
reino de Deus. Muitos que se colocam “à disposição”
de servir ao reino, mas elencam exigências, pedem
honras, precisam mandar e, muitas vezes, são insubmissos
e desrespeitosos com os líderes eclesiásticos
e o próximo. Sinceramente, em casos como esses,
sou impelido a descrer da conversão dessas pessoas
que demonstram, claramente, que o destino dos sem
Cristo e as carências do Reino e de sua igreja local
nada significam. É muito difícil pensar num convertido
apático, egoísta e indiferente à causa de Jesus. As
pessoas que só pensam em receber, ser abençoadas,
e acham que Deus, a igreja e os irmãos lhe devem,
devem avaliar seus conceitos. O Apóstolo Paulo disse:
“O amor de Cristo nos constrange” (cf. 2 Co 5.14).
Quem conheceu o amor de Cristo quer ser útil a ele.
Mais que tudo.
A gênese do serviço a Cristo é um coração grato,
reconhecido ao Salvador pela sua bondade, e desejo
de que outros experimentem o mesmo. Motivação
bíblica, capacidade, abnegação - Jesus chegou até a
lavar os pés dos seus discípulos, lembra? - e espiritualidade
são as marcas do servo bom e fiel! Onde há
conversão deve haver gratidão. E a gratidão se mostra
numa vida dedicada a serviço do Mestre. Vamos servir!
Que Deus nos abençoe

Do seu pastor e servo de Cristo,
Pr. Segundo Almeida