Avisos e Devocionais

AGENTES DA LIBERTAÇÃO
12-11-2017
AGENTES DA LIBERTAÇÃO

Nos dias de hoje, pelo menos duas forças maléficas
atuam sobre a humanidade: a primeira delas é a força do
relativismo. Aqui, seu conceito permeia a ideia de que não existe
verdade absoluta. Aqui vigora a minha verdade (ou pelo menos o
que eu penso naquele momento como verdade). Mas tenha muito
cuidado: a sua verdade pode não ser a verdade, porque ela é
relativa. No fim, a verdade não existe. O que existem são as
verdades que interessam e colaboram para aquele determinado
momento! Engraçado, não? O resultado disso, é que os adeptos
dessa linha começam a achar tudo normal. É normal não ter
compromisso com ninguém, é normal sonegar impostos, é normal
pagar propina a agentes de trânsito, é normal mentir para alcançar
os objetivos desejados. Tudo é normal! Para eles, o certo é o que
eles acham certo, e o que é errado é o que cada um entende como
errado. Nessa linha, até Deus transforma-se em algo relativo. Deus
pode ser um barbudo carinhoso ou pode ser alguém com o bigode
de Hitler esperando o momento certo de enviar a humanidade para
os fornos de Auschwitz; Deus também pode ser apenas uma
criação da humanidade - não existe. Fácil viver assim, não? Eles
acreditam que isso é liberdade!
A outra força maléfica que influencia a humanidade é o
secularismo. Guinnes, denominou a secularização “como o
problema central da Sociologia da Religião, que pode ser definida
como o processo através do qual as ideias e as instituições
religiosas estão perdendo o seu significado social. As ideias são
menos significativas e as instituições mais marginalizadas”.
(Amorese, Rúben. ICABODE, p. 65). Trocando em miúdos, a igreja,
como organização/instituição, está bastante enfraquecida. E as
autoridades estão perdendo o respeito. O resultado disso é uma
sociedade sem limites. Aprisionada!
Se pudéssemos usar uma metáfora para o movimento
relativista, poderíamos dizer assim: “o relativismo é um queijo
suíço. Pois, no queijo suíço da relatividade, o branco pode ser
preto (depende do gosto do freguês), o mole pode ser duro (mas
difícil de engolir), e o consumidor desse fenômeno nunca gozará de
uma superfície de convicções lisa, pois a estrada do relativismo será
sempre cheia de buracos”. Nessa mesma linha, o “secularismo é
como o construtor do Titanic: se acha o dono da verdade, o
indestrutível e o seu instinto autossuficiente lhe diz que não precisa
de ninguém, mas afunda no primeiro obstáculo que aparece”.
Nós precisamos acordar para o fato de que as pessoas, no
fundo, estão à procura de verdadeiros paradigmas. Todos
precisamos de ícones, de exemplos a seguir. As pessoas estão
carentes de discipulado e, para que esse discipulado seja eficaz, é
necessário que os discipuladores estejam dispostos a pagar o preço
de uma vida que agrada e teme ao Senhor. Quem vive no
relativismo, na verdade, vive preso. Tem problemas com identidade
(não sabem quem ele é, nem no que acredita), tem problemas com
culpa (não sabe o que é certo ou errado), tem problemas com a
sociedade (não sabe lidar com as diferenças, ou “verdades” alheias)
e tem problemas com Deus (não crê nEle, pois insiste em não
praticar à Sua palavra).
Precisamos informar ao mundo (incansavelmente) que a
Igreja é a instituição orgânica que Deus escolheu para completar
Seu propósito soberano para o mundo. A Igreja é a única esperança
para o mundo que jaz no maligno (Cf. I Jo 5.19). Se você decidiu
viver por Cristo, parabéns! Você é membro da Igreja de Deus. E, por
causa disso, você tem responsabilidade com essa causa:
Evangelizar (Cf. Mt 28.19,20); discipular (Cf. Mt 28.19,20); batizar
(Cf. Mt 28.19,20); congregar, ter uma igreja para se reunir com seus
irmãos (Cf. Hb 10.25) e; viver conforme os desígnios de Deus,
estampados em Sua palavra. Assim, seremos agente de libertação!
Vamos nos unir na difícil tarefa de sermos luzeiros em
meio a escuridão. Vamos dar as mãos. Ajudarmos-nos uns aos
outros. E isso é ser livre! Em João 8.32 diz: “Se, pois, o Filho do
Homem, vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Queridos, só há
liberdade em Cristo Jesus, é vivendo para Ele que seremos felizes.
Ele é o caminho, a verdade e a vida! Creia, comprometa-se e
anuncie!

Que Deus nos abençoe.
Do seu pastor e servo de Cristo,
Pr. Segundo Almeida