Inversão de Valores

Um dia desses eu estava em um Banco e procurei um caixa eletrônico de utilização prioritária a idosos (tenho 60!!!!). Encontrei dois. Mas encontrei muitas pessoas na minha frente que não eram idosos, nem deficientes, nem grávidas, nem com crianças pequenas no colo. Encontrei muitas pessoas jovens. Olhei ao redor e vi que muitos idosos estavam na fila (enorme) para os caixas de atendimento geral. Como eu estava diante de um caixa prioritário me adiantei, passei a frente dos que estavam ali e me posicionei atrás de uma pessoa que estava terminando sua utilização do caixa. Os que “estavam na minha frente” não gostaram e começaram a resmungar. Chamei um funcionário do Banco e perguntei se aquele não era um caixa prioritári o. Ele disse que sim. Perguntei porque tinha tanta gente ali e tantos idosos na fila maior. Me disse que aqueles dois caixas “prioritários” estavam sendo utilizados para tirar dúvidas de clientes ou com clientes que não sabiam utilizar caixas eletrônicos. Queria que eu esperasse. Eu disse que não esperaria porque estava no meu direito. Ele coçou a cabeça e se silenciou. A jovem que supostamente estaria na vez (não tinha mais de 20 anos) afrontosamente me disse: “Eu não me importo que o Sr. passe a minha frente.” Eu disse que não estava passando a frente dela, que estava na minha vez de utilizar o direito que tenho. Ela, zangada se voltou para os outros que também estavam zangados e disse: “Está faltando amor neste mundo!” Eu não agüentei e fiz um verdadeiro discurso a respeito da falta de amor dos jovens para com os idosos e que querem que os idosos tenham amor e cuidado para com eles.

O mundo está invertido, irmãos. Os jovens cheios de vigor exploram os mais velhos, que já estão enfermos, que já trabalharam muito para que os jovens chegassem aonde estão.

Precisamos sim amar os jovens, mas precisamos mostrar que o amor deve ser demonstrado para com os que são mais fracos.

Pr Dinelcir

Obs.: O Pr. Dinelcir será o pregador oficial do Centenário no dia  11 de junho no CEMFORPE.